GIRL BOSS | MINHA NOVA SÉRIE FAVORITA

Quem me acompanha no instastore e no twitter devem ter visto que eu não parei de falar no seriado Girl Boss esses últimos dias haha no domingo mesmo já tinha terminado de assistir, afinal estava esperando desde novembro do ano passado quando anunciaram que teria o seriado. O seriado Girl Boss estreou no dia 21/04 e conta a história da Sophia Amoruso em 13 episódios que duram em média de 25 minutos. No inicio de cada episódio é exibida a seguinte mensagem: “A seguir, uma releitura livre de eventos verdadeiros. Muito livre”, ou seja, a história pode ser contada de forma exagerada e enfeitada, que foi mais ou menos o que aconteceu na minha opinião.

.

Não estou criticando o seriado, porque eu sou suspeita em falar da Sophia, sou fã do trabalho dela desde 2011, MAS ainda prefiro o livro e se eu fosse vocês, também começaria pelo livro e depois assistiria o seriado, porque o livro é muito mais completo e interessante, já o seriado eles não falaram um terço do que a Sophia fez e passou e o quanto ela pode nos ensinar nesse mundo empreendedor. 

.

 

Mas agora, contando um breve resumo da história da Sophia… ela é dona de uma das maiores rede de roupas dos EUA chamada Nasty Gal ou traduzindo “Garota Safada” haha. Iniciou sua loja no Ebay, fazendo leilões de roupas que encontrava garimpando os brechós pela Califórnia. 

Nesses garimpos, ela já chegou a encontrar na mesma loja duas jaquetas da Chanel e pagar em cada uma APENAS $8 dólares e vender as mesmas por $1.500 dólares, olhando assim até parece que o destino deu uma força haha porque não é nada fácil encontrar essas barganhas.

Cenas do seriado “Girl Boss”

A loja cresceu tanto no Ebay, que ela decidiu abrir uma loja online e com isso, teve que ir mudando para espaços cada vez maiores em Los Angeles. Em 2014 a loja faturou US$ 300 milhões em vendas na loja virtual e física, segundo a revista “Forbes”.

Tudo isso conquistado em apenas sete anos. Mas é aquela coisa, tudo que é construído de forma errada, é difícil de dar certo ou dá certo por um certo tempo e foi assim que em 2016, a loja declarou falência, segundo a CEO Sheree Waterson, essa decisão foi tomada para ajudar a marca a lidar com as questões financeiras e estruturais do negócio.

E quando eu digo ter sido construído de forma errada, é que apesar do sucesso da marca, a mesma já vendeu produtos falsos e alguns ex-funcionários chegaram a relatar que era um ambiente “péssimo” de trabalho. Mas apesar da Sophia estar bem hoje, ela teve seus altos e baixos durante todo esse processo, ela roubou, se meteu em muitas confusões e aprendeu a lição.

.

Cenas do seriado “Girl Boss”

 

Em um evento chamado “Business Chicks”, que ocorreu na Austrália, a Sophia Amoruso se manifestou sobre a falência e disse que: “Essa falência é um momento de pausa e permite que continuemos a operar. Nossa marca é super, super forte. Entrar no Chapter 11 é a decisão mais responsável para o negócio”. E temos certeza disso Sophia, estamos aqui na torcida, né non? Uma marca poderosa como a Nasty Gal não pode acabar de um dia para o outro.

.

Cenas do seriado “Girl Boss”

.

EMPODERAMENTO FEMININO

Outra coisa que eu gostaria de falar aqui nesse post é que se pararmos para pensar, o seriado tocou bastante no tema de Empoderamento feminino,  para quem não sabe o que é, significa a luta pelos direitos das mulheres, a nossa busca pela igualdade de gêneros em todas as vertentes. 

E assim podemos ver cenas em que Sophia toma frente de diversos assuntos, dizendo que não precisa da ajuda de ninguém, porque ela é uma Girl Boss hehe. Além disso,  a maioria das pessoas envolvidas na criação do seriado foram mulheres, como a Charlize Theron; a própria Sophia Amoruso, Laverne McKinnon e Beth Kono.

Mas é isso, espero que vocês tenham gostado desse meu breve resumo/critica/visão haha. 

Um beijo!

2

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *